Pesquisar neste blogue

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Belos Aires

No outro dia reparei que já faz algum tempo desde a última vez que escrevi sobre os restaurantes que temos experimentado. Talvez por falta de entusiasmo em relação aos sitios que temos visitado, talvez por falta de tempo... Mas a verdade é que este "silêncio" finalmente foi quebrado, depois da visita a um dos melhores restaurantes no Porto que experimentei nos ultimos tempos: Belos Aires.

Apesar de ser um daqueles que estava na lista "A Experimentar" há já bastante tempo, foi só na 3ª tentativa de fazer uma reserva que conseguimos mesa.


Apesar da noite chuvosa e fresca de Outono, e um piso muito escorregadio a descer a Rua de Belomonte, fomos dar à aconchegante casinha onde fica o Belos Aires. O ambiente acolhedor e reconfortante no seu interior contrastava bem com o desconforto que se sentia na rua, pelo que foi logo um ponto a favor.



O atendimento foi muito simpático e eficiente e, como estávamos rodeados de turistas, deu para perceber que o pessoal é também fluente em linguas. A decoração está muito bem conseguida, e em qualquer ponto do restaurante sentimo-nos bem.

Pormenor da decoração.
 Ficamos numa mesa mesmo em frente à cozinha, que é parcialmente aberta e onde podemos acompanhar a confeção dos diversos petiscos.

A cozinha (sem segredos).
A carta não é muito extensa mas é bem variada. Sendo um restaurante de influência argentina, são de destacar as carnes, de excelente qualidade. Os acompanhamentos fogem aos tradicionais e acabam por supreender (polenta, batata doce, etc.).

A carta, numa tábua, e com ilustração das diferentes carnes.

O saquinho do pão.

Entradas deliciosas.
A carne. 
Os acompanhamentos e molhos.


Quanto às sobremesas, vimo-las a saír da cozinha, com aspeto delicioso e de babar, mas como "comemos que nem abades" já não conseguimos experimentar estas doçuras, mas assim fica mais um motivo para lá voltar! :)


Belos Aires
Rua do Belomonte 104, Porto
Tlm: 911 197 383



quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Prateleiras

Se bem se lembram, com as antigas portas da nossa casa conseguimos fazer vários projetos para a nova decoração: a mesa de jantar, a cabeceira da cama e o cabide. Como ainda tinhamos mais 2 dessas portas guardadas para futuros projetos e estávamos a precisar de umas prateleiras para uma das paredes do pátio, usamos a madeira de uma dessas portas. Assim apenas tivemos de comprar os suportes. Ecológico e económico: 2 características muito importantes nos nossos projetos! :)

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Bolo de cenoura com molho de chocolate (vegan e sem gluten)

As tardes de domingo no outono trazem consigo algo de misterioso que me leva muitas vezes a recolher na cozinha para fazer gulodices! Foi o que aconteceu na tarde em que fiz este bolinho de cenoura, versão bem mais saudável do que o tradicional.

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Letras tridimensionais

Sendo fã do estilo decorativo industrial, tenho visto um pouco por todo o lado, o uso de letras tridimensionais na decoração de espaços. Mas (há sempre um grande "mas") normalmente são bastante caras, uma vez que as originais são de metal.

Resultado de imagem para metal letter

A minha ideia era colocar numa das paredes da minha craft room, as palavras Donna Lisa em letras tridimensionais, portanto já estava a ver a despesa em que ia meter se tivesse de comprar todas estas letras... Por isso, pensei em fazer as minhas próprias letras, que não precisavam de ter um aspeto tão vintage, bastando para isso ser tridimensionais. E em cartão/papel, para serem bem fáceis de trabalhar.

Comecei por escolher um tipo de letra neutro e básico e imprimi cada letra em tamanho grande. Depois passei para cartão (de restos de caixas/embalagens) e recortei. Finalmente cortei fitas de cartolina para fazer os contornos das letras e colei ao cartão.








Por fim, pintei-as todas de branco e coloquei vários tipos de "washi tape" (fita cola decorativa) para personalizar cada uma delas.
E aqui está a minha parede personalizada, de uma forma bem baratinha! :)




quinta-feira, 13 de outubro de 2016

Pulseiras... como arrumá-las?

Só quem tem dezenas de pulseiras acumuladas ao longo de vários anos, e não tem coragem de as "eliminar" da coleção, é que me compreende! Chega a um ponto em que já não cabem nas gavetas ou nas caixas de bijuteria, e começa a tornar-se um caos. Sempre que queremos uma pulseira, olhamos para a gaveta e encontrar a pulseira pretendida torna-se uma missão difícil...
Já tinha visto algumas ideias de suportes para pulseiras, e acabei por fazer um super simples mas que cumprisse o objetivo: organizar de uma forma visível as pulseiras.

Tendo a ideia em mente passei-a para o papel. 


Um projeto muito complexo, como podem ver! :)
Depois, aproveitando restos de madeiras de outros projetos (como o do porta-especiarias), cortamos nas dimensões pretendidas e aparafusamos as peças umas às outras.




Finalmente pintamos e colamos uns pedacitos de washi-tape para tapar as ligações entre as madeiras.
E aqui está ele: o suporte para muitas pulseiras! :)


quarta-feira, 28 de setembro de 2016

Porta-especiarias à medida

Quando não encontramos o que queremos, o que fazemos? Criamos, pois claro! :)
Foi o que aconteceu com o nosso porta-especiarias. Mais uma vez, tal como a caixa de ferramentas, tinha uma ideia do que pretendia mas não encontrava em lado nenhum, por isso a solução foi fazer à nossa maneira.

Comecei por tirar algumas ideias de outros porta-especiarias e usei as medidas dos frascos de especiarias que já tinhamos para definir as dimensões.


sexta-feira, 9 de setembro de 2016

Cómoda

Tudo começou com uma básica cómoda de madeira ...
Que já tinha sido alterada há uns anos atrás, com uma simples pintura de cinza escuro:


Agora para lhe dar destaque, e para se enquadrar melhora na nova divisão, demos um novo visual a este móvel, através do uso de um stencil (comprado no ebay):


E aproveitamos para trocar os puxadores por uns de vidro, mais sofisticados.



O que acham? :)


Nota: reconhecem aquela cabeceira de cama ao lado da cómoda? :)


quinta-feira, 18 de agosto de 2016

Um garrafão transforma-se em...?

Há uns meses atrás, nas obras de reconstrução da casa de uns amigos, encontrei uns pequenos tesourinhos, escondidos no meio de tralhas dos antigos proprietários: 3 velhos garrafões de palha.
Apesar de estarem com a "carapaça" a desfazer-se, o que me interessava era o "recheio". A minha imaginação ficou logo rendida a estes frascos gigantes de vidro.



O que fazer com estes toscos garrafões? Convertemos em... candeeiro de mesa!

Começamos por retirar a "carapaça" de palha do garrafão, e ficamos com um gigante jarro de vidro que depois de bem lavado passou ao passo seguinte.


Esta foi a parte mais delicada do processo: fazer um furo no vidro para fazer passar o fio elétrico. Além da broca do berbequim ter de ser especial para vidro (broca de diamante), o furo tem de ser feito com água a correr na zona, senão aquece muito e podemos estragar tudo, o vidro pode estalar e eventualmente partir-se...


Depois deste momento de tensão bem sucedido (uffa!) passamos o fio elétrico (próprio para candeeiros, o que inclui o fio + interruptor + ficha) pelo furo até saír pelo gargalo do garrafão.


Depois de ligarmos o fio elétrico a um casquilho para lâmpadas, colamos este casquilho no gargalo do garrafão.


No final foi só arranjar um abajour catita e o candeeiro estava pronto! :)


Candeeiros semelhantes a este podem custar uma pipa de massa em lojas de decoração, mas este nãooooo: só precisamos de comprar o fio elétrico, o casquilho e o abajour, e resultou nesta beleza que ficou em cima do aparador azul :)





quinta-feira, 11 de agosto de 2016

Aparador e toucador Queen Anne

No OLX encontra-se de tudo mas quando encontrei os chamados móveis "Quinane" fiquei intrigada, até ter percebido que afinal eram Queen Anne, os típicos móveis do século XVIII e replicados nos séculos seguintes, cheios de curvas e rococós.
Andava à procura de um aparador para a sala, com "cristaleira" (para pôr as garrafas de licores e afins) e encontrei este fantástico móvel, em relativo bom estado, por um preço bestial!




Mãos à obra! Tiramos fechaduras e puxadores e toca a lixar.
Lixar é a coisa mais aborrecida e demorada no mundo das transformações de móveis, mas para obtermos uma pintura bonita e duradoura, tem que ser!



Depois avançamos com a primeira demão de tinta, de um azul escuro acetinado, deixamos secar, e aplicamos outra demão.


O interior da cristaleira foi revestido a um tecido floral, em que basicamente recortei o tecido à medida dos paineis laterais e colei ao móvel, usando cola branca ligeiramente diluida em água (é preferivel usar Modge Podge mas fica mais dispendioso). 


E aqui está o resultado final. Um aparador "Quinane" cheio de estilo! :)



E o mesmo fizemos a um toucador para o quarto e respetiva banqueta, também do género:


Que pintamos de um cinza claro mate e transformamos nesta beleza:

Estofei a banqueta com um tecido macio da mesma cor da tinta do móvel.

E ainda sobrou o espelho que há-de servir para um outro projeto qualquer (ideias não faltam!).



sexta-feira, 15 de julho de 2016

Caixa de ferramentas?...

Na nossa cozinha há meia dúzia de condimentos que têm de estar mesmo à mão: azeite, sal, vinagre, piri-piri... Tinha visto há algum tempo atrás, nalgum artigo de decoração campestre, a ideia de utilizar uma caixa de ferramentas antiga (em madeira) para acondicionar facilmente todos esses temperos.
Ora, como não encontrei nenhuma caixa dessas, decidi fazer uma! Encontrei um projeto semelhante algures na internet, mas ajustei as medidas ao que eu pretendia, e em quase 2 horas fiquei com uma caixa de ferramentas "antiga" nova, eheh!