Pesquisar no blogue

terça-feira, 6 de fevereiro de 2018

Tascos imperdíveis: Toca do Coelho

Voltando às reportagens temáticas dos tascos imperdíveis, fomos desta vez visitar a Toca do Coelho, em Seroa, Paços de Ferreira.
Sabemos que neste tipo de sítios se come muito bem, quando andamos km e km para lá chegar, numa localidade que à partida nunca iríamos visitar, percorrendo até um caminho de terra batida e damos com esta pequena casa rural rodeada de carros estacionados e repleta de clientes.

Também assim acontece no Tatana, que foi o motivo que nos levou a conhecer agora este tasco. Numa comparação dos melhores tascos para comer muito e bem, foi-nos sugerido a Toca do Coelho, e nós que não conseguimos dizer que não a um bom desafio de comezainas, lá seguimos a dica.

Fazendo jus ao nome, este pequeno restaurante localiza-se no fim de um estreito caminho de terra batida, onde provavelmente andarão muitos coelhos segundo o número de caçadores que costumam frequentar este tasco.

Se quisermos arranjar mesa para um pequeno grupo para jantar num sábado temos de reservar com 2 a 3 semanas de antecedência, pois nestas noites é garantido que o espaço esteja cheio.
O restaurante tem um ar rústico e acolhedor, de paredes de granito com objetos da lavoura a decorar. A simpatia dos proprietários e demais colaboradores é notória e torna a refeição muito mais agradável.

Seguimos a dica e pedimos para "entrada" (e basicamente, prato principal) um pouco de tudo: presunto, queijo, azeitonas, pão/broa, pataniscas de bacalhau, rojões, moelas, codornizes, feijoada... 










Tivemos de impedir que viesse mais alguma coisa para a mesa senão não seríamos capazes de provar o prato principal, um naco de vitela bem tenrinho acompanhado de arroz de feijão e grelos. Tudo isto regado com um bom vinho verde branco e, para os apreciadores, um vinho verde tinto servido na típica malga.




Para sobremesas, experimentamos a sugestão da casa, um prato de biscoitos e bolachas, que incluía bombocas, mas foi devorado tão rapidamente que não houve tempo para registar em fotografia!... Além disso, provamos o molotofe, o pão de ló húmido e o tradicional pudim, além da mousse de Oreo (que também escapou à foto).




Saímos da Toca com a barriga bem cheia e muito bem dispostos, até porque a conta não foi nada de especial para a quantidade e qualidade da comida e simpatia do serviço. 
Mais um tasco para voltar!

Toca do Coelho
Rua do Cruzeiro 13
4595 Seroa, Paços de Ferreira
Tlm: 914 736 039

Outros tascos visitados:



quinta-feira, 18 de janeiro de 2018

Tarte de Ruibarbo

Numa das últimas vezes que fui ao horto, encontrei na parte de hortícolas, umas plantinhas de ruibarbo, o que achei super curioso. Nunca experimentei comer ruibarbo, e nunca encontrei à venda nos mercados que frequento, e com certeza que não estava à espera de encontrar esta planta no horto. Como sou fã de alguns sites e gurus culinários ingleses e americanos já tinha ouvi falar imenso nesta planta, principalmente usada para fazer tartes. Não resisti à curiosidade e comprei um pezinho de ruibarbo e plantei na nossa horta.
Ao fim de algumas semanas a planta desenvolveu-se frondosamente, e quando os caules ficaram avermelhados foi a altura certa de usar a planta para cozinhar. A parte que se usa da planta são os precisamente os caules, descartando as folhas. 

A planta no nosso canteiro-horta.

domingo, 10 de dezembro de 2017

Decorações de Natal "low-cost"

Mais um Natal se aproxima, e nada melhor para entrar no espírito (pelo menos, aqui para a Donna Lisa) do que tratar de fazer decorações natalícias DIY, originais e bem económicas. Tal como no ano passado, fiz algumas peças para decorar a casa, com alguns elementos da natureza ou materiais que fui guardando para fazer estas decorações.
E hoje trago-vos aqui uma seleção das que eu mais gostei de fazer. Espero que gostem também! :)


Vejam de seguida cada uma delas em pormenor, assim como os materiais e custos.


quinta-feira, 30 de novembro de 2017

Mini-tartes de maçã


Neste fim de época da fruta, como algumas macieiras foram bastante generosas, ainda temos umas deliciosas maçãs para apreciar. Por isso, procurei uma receita, um pouco diferente da tradicional tarte de maçã, para dar um "desbaste" no stock caseiro da fruta. No site "Better Home & Gardens", que de vez em quando consulto, encontrei um conjunto de receitas deliciosas para usar maçãs e esta foi a escolhida.

quinta-feira, 2 de novembro de 2017

Almoço no D'Gema e uma voltinha no Jardim Botânico

Há restaurantes que são verdadeiros fenómenos de popularidade, é o caso do D'Gema. Sempre que passo lá à noite vejo filas de gente à espera de mesa, e isto intriga-me! Um destes sábados, passamos pela rua do Almada à hora de almoço e aproveitamos que o restaurante estava relativamente calmo (havia uma ou 2 mesas livres, uau!) e lá fomos experimentar.


O espaço por fora não chama muito a atenção, apesar do bom gosto da entrada, que penso já vir do tempo em que aqui funcionava um outro restaurante (o "Romeu e Julieta"). Mas lá dentro, o que se destaca são sem dúvida os abajours dos candeeiros feitos em papel machê e que representam os nomes dos hamburgueres disponíveis no menu, e que são inspirados em expressões portuenses (carago!).

segunda-feira, 23 de outubro de 2017

Aplicar papel de parede - uma aventura!

O estúdio Donna Lisa está em constante mutação. :) Ou são armários, ou são molduras, ou mesas, etc.... A verdade é que eu acho que há sempre um ou outro pormenor que pode ser melhorado, tanto  a nível funcional como esteticamente. Desta vez, foi uma parede!
Atrás da secretária havia uma grande e aborrecida parede branca... O que não bate certo com toda a energia e criatividade que flui neste espaço! Depois de várias tentativas de escolher um papel de parede certo para este espaço, ainda tive de passar pela aventura de ficar com a encomenda retida na alfândega (por ter vindo da China) e ter de pagar uma catrafada de impostos e taxas sobre ela, enfim!

Depois de alguma pesquisa sobre aplicação de papel de parede (bendito Youtube!), comprei o restante material necessário (cola e pincéis), e meti mãos à obra! Pela primeira vez na vida,  apliquei papel de parede e posso dizer que não foi tão difícil como imaginava, apenas pegajoso! Eheh! A parte mais complicada foi mesmo acertar o padrão do papel, pois como os ramos das árvores da imagem do papel tinham de bater certo uns com os outros, foi preciso ter atenção redobrada. Isto também leva a que se desperdice algum papel, por isso fica a dica: quando comprarem papel de parede com padrão (horizontal) comprem uma quantidade superior àquela que precisam para a medida da parede!

O longo e pegajoso processo de aplicação do papel.

E aqui está o resultado final. 
Não ficou uma parede muito mais interessante?? :)



Outros projetos do estúdio Donna Lisa:



sexta-feira, 13 de outubro de 2017

Tapabento - "Tapas & + coisas boas"

Finalmente tivemos o prazer de conhecer o restaurante Tapabento! :)

Como genialmente o nome indica, este restaurante serve principalmente tapas (ou petiscos) e fica ao lado da famosa estação de comboios de S. Bento. Entretanto abriram um novo restaurante com o mesmo novo, mas na zona da Trindade. Esse fica para uma próxima oportunidade.

Este é daqueles sítios que já várias pessoas me tinham recomendado e com ótima classificação nos diversos sites que se dedicam a apresentar os melhores locais para explorar em diferentes cidades.

Com tantas expectativas, isto podia correr mal... Mas não foi o caso. O único senão é mesmo a dificuldade em fazer reserva ou arranjar mesa devido à intensa procura por parte não só de portugueses mas também muitos (mas mesmo muitos!) estrangeiros.

quinta-feira, 21 de setembro de 2017

Manjericão aos montes? Pesto!

Há uns meses atrás, comprei um vasinho de manjericão no supermercado.
Não costumo ter sorte com estas plantas (pelo menos dentro de casa) mas tinha lido algures que estes vasos que se encontram no supermercado (perto da zona das saladas embaladas) são constituídos por vários pés de manjericão, o que quer dizer que um único vaso pode resultar em várias plantas. 
Então fiz o recomendado: tirei a planta do vaso e separei os vários pés de manjericão (confirma-se!), tentando não destruir as raízes. Plantei os pés de manjericão na nossa horta em canteiros e meses depois tenho várias plantas a crescer continuamente, o que implica de vez em quando dar um desbaste àquelas que estão a crescer demais (deve-se evitar que a planta dê flor). 

sexta-feira, 25 de agosto de 2017

Tarte de Pêra

Cá em casa temos as fruteiras carregadas, e precisava de gastar umas pêras que estavam a ficar demasiado maduras para serem comidas "ao natural". Fiz esta receita de uma tarte de pêra com leite condensado que fica uma delícia (atenção gulosos: nem parece que estão a comer fruta!). :)